A Namorada Do Meu Irmão

Estava eu em casa, depois de uma viagem longa pelo Nordeste do Brasil, quando tocou a campainha. Era Rose, namorada do meu irmão mais novo. Rose era uma mulher linda: olhos atraentes e curvas salientes, parecia um violão e para deixá-me mais alucinado a loira estava muito cheirosa, não resistir todo aquele charme mas disse a ela que ele não estava e iria chegar mais tarde, e que poderia ficar a vontade, e ao cumprimentá-me aqueles lábios vermelhos, sem quer, encostou no meu. Eu fiquei exitado e ela percebeu o meu pau duro parecendo o volume no uniforme do meu time da cidade. Tentou desfaçar mais não conseguiu e não tirou o olho então começou a passar aquelas mãos maravilhosas por cima do meu pau, e eu tentei desfaçar em consideração ao mano. Mas ela encostou o corpaço ao meu e começou lixar a buceta no meu pênis. O gemido de tarada deixou-me louco de tesão e eu naquele momento deitei ela na no balção e fui tirando o sue vestido com os dentes, dei um beijão, afogante naquela boca gostosa, fui descendo e beijando com a língua até chegar na calcinha que estava toda molhada de prazer, e que tirei com os dentes, ela pegou o meu pau e colocou na bucetona que estava raspadinha, e eu comecei dá só bombadona até ela tremer e pedir para eu penetrar com mais foça ainda que ia gozar. E nesse momento disse que eu também ia gozar, o nosso corpo tremia de desejo e sensação louca, gozamos juntos. E depois que ela gozou pegou o meu pau e começou a chupar, colocava todinho dentro da boca. Então fiquei mais exitado ainda e a coloquei de quatro na cama do primeiro quarto e dei mais umas bombadas, ela pediu para sentar no meu pau aí mesmo que foi delirar de desejo, subia bem no gargalo e descia engulido mais de vinte centímetro de pica, e beijava-me todinha, comia todo o suor e eu para deixá-la mais louca de desejo coloquei o meu dedinho no rabão dela, que com o fio terra mais uma vez ela gozou e eu também. Depois fomos para o banheiro e lá ela começou a chupar o meu pau novamente mas logo a campainha tocou, era o meu irmão, ela a recebeu com muito dengo e disse que estava cansa de tanto esperar. Ele perguntou pelo cabelo molhado mais ela disse que estava fazendo muito calor e logo a pegou pelas mão e a levou para o quarto dele. Eu dei uma espiadinha pelo buraco da fechadura e ela estava cavalgando no pau dele, Então peguei as minhas coisas e fui da um tempo nas praias do Nordeste. Em canoa quebrada conheci Juciara e esta é outra história.

Contos relacionados

Viciada Em Anal

Meu marido sempre insistiu nos prazeres do sexo anal e eu sempre fugi com medo da dor, mas um dia ele acabou me pegando por trás desprevenida e o seu cacete entrou um pouquinho, eu ainda me debati tentando lhe fazer sair mas fui contida por ele que com...

A Vizinha E A Tela Da Cerca

A vizinha e a tela da cerca Em 1992 por ser filho de policial militar fomos obrigados a morar numa cidadezinha chamada Maravilhas, bem pequena no interior de minas gerais. Estava com 18 anos, quando cheguei na nova casa que era cercada de tela e...

Alisgm0ljvc

Usando mil mentiras pode-se tnetar solapar uma verdade, mas quantas mentiras se3o necesse1rias para deter uma espada? Assim como uma verdade pode ne3o ser agrade1vel, uma espada pode ter consequeancias nada boas. De sua boca saeda uma espada afiada, de dois...

No Banheiro Do Estádio Com Renan

Eu nunca fui de acompanhar jogos de futebol, seja eles pela televisão ou em estádios. Mas naquela semana eu estava destruída com o término do meu namoro de quase 4 anos. Queria sair sozinha, espairecer, fazer coisas que nunca fiz... E em uma delas, vi que...

Dei Para Meu Funcionério

Dei para meu funcionário Meu nome é Daise tenho 38 anos. Bom pra começar quero afirmar que sou dona de uma padaria. Um belo dia apareceu um rapaz se identificou como Bruno,24 anos e me perguntou s eu estava precisando de um repositor,ele...

Massagem na irmã gostosa

Nem sei como começar este conto! Tudo começou quando eu fiquei desempregado, morava em um cidadezinha no interior de São Paulo, quando a empresa em que eu trabalhava veio a fechar as portas depois da crise financeira de 1998 que assolou o país. Resolvi...