Meu Novo Vizinho

Cornos 123

Meu novo vizinho

Moro sozinho há mais de 4 anos. Com isso me acostumei a viver nu dentro de casa. Chego em casa tirando a roupa e fico pelado o tempo todo. Gosto muito disso. Meu apto fica no 3º andar, não tenho muito papo com vizinhos, só o básico: bom dia, boa noite… Semana passada, cheguei em casa por volta das 22h, como sempre, fui me despindo e me preparando para um banho. Antes entrei na net afim de esquentar para bater uma punheta bem gostosa. Entrei em uns sites, assisti uns vídeos muito excitante e tal… Comecei a me masturbar e fui terminar no banheiro, mas logo que entrei a campainha toca. Achei muito estranho alguém naquele horário, fiquei preocupado e corri, vi no olho mágico uma pessoa estranha, não a conhecia. Perguntei quem era e repondeu que era um novo vizinho. Abri um pouco da porta (eu estava nu) aparecendo apenas minha cabeça. Pedi um minute e corri para colocar uma toalha. Voltei imediatamente, abri a porta e disse que entrasse e nao reparasse a bagunça (que bagunça!). Ele entrou falando e explicando o porquê de me incomodar naquela hora. Disse que havia se mudado no dia anterior e tal. E falou que chegando em casa naquela hora, descobriu que tinha deixado a chave no seu serviço. Pediu que eu conseguisse algum telefone de um chaveiro. Eu falei para ele que não conhecia nenhum, mas se ele quisesse poderia usar a minha net e procurar algum contato. Levei até o cumputador, que fica no meu quarto e disse que ficasse a vontade. Com isso tive que adiar meu banho e punheta para mais tarde. Fui na cozinha beber água e deixei ele no computador… quando lembrei dos sites que deixei abertos. Éguas! Não sabia o que fazer…Se ficava na minha ou ia lá e pedia desculpas e fechava as abas da net… Voletei para o quarto e chegando vi que ele estava vidrado nas “minhas” páginas. Ele se assustou com minha chegada e deu um alt tab para disfaçar. Fiz que conta que não tinha percebido nada. Ele ficou na sua busca e eu sentei na minha cama, perto dele, tentando ajuda-lo. Eu já estava doido pra punhetar e aquela situação só a aguçou. Meu pau ficou duro (17cm, bem grosso e cabeçudo) sob a toalha. Eu não sabia o que fazer…Resolvi tomar meu banho. Falei pra ele ficar a vontade e fui para o banheiro. Meu computador fica de frente para a porta do banheiro do meu quarto. Mal intencionado, deixei a porta aberta, fechei apenas o box de vidro. Pensei, pow, o cara é macho e sabe muito bem que bater uma punheta é mais que normal. Liguei o chuveiro, passei um pouco de creme no cacete e comecei a bater uma punha. Fazia barulho propositalmente. Eu tinha certeza que aquele cara estava me olhando e olhando as páginas pornôs no meu pc. Bati, bati, mas não gozei. Terminei meu banho e sai totalmente nu para o quarto, meu pau rígido como uma pedra; saí falando com naturalidade: coisa boa é bater uma punheta, não é cara?! Ele repondeu passando a vista pelo meu pau: é verdade, amigo! Me exuguei e fiquei na cama nu. Falei: cara, não leve a mal, mas vivo nu em casa. Ele respondeu sorrindo: fique a vontade, a casa é sua! – Sim, encontrou um telefone de chaveiro, perguntei. -Sim, tem alguns aqui, vou ligar. Ele ligou para uns 3 e nada. Ele começou a se mostrar preocupado por nao ter como entrar na sua casa. Para trnaquiliza-lo disse que se quisesse poderia passar a noite na minha casa, sem problema. -Não, cara, tenho que resolver isso. -Mas, se nao resolver, fique à vontade. O certo é que ele nao consegui e teve que ficar para dormir. Sugeri que tomasse um banho e joguei minha toalha meio molhada em cima dele. Ele foi para o banho e eu fui continuar minha punheta… Sentei, encostado no espelho da cama e fiquei batendo. Ele saiu do banheiro, nu, de pau duro e sentou do meu lado, perguntando: Posso te acompanhar nesse bronha? – Fique a vontade, respondi. Ali ficamos batendo uma punheta deliciosa. Ele batia olhando pro meu cacete, aquilo tava me deixando louco. Tive um momento de loucura e peguei em sua nuca puxando sua cabeça em direção ao meu cacete… ele tava doido também, abocanhou meu pau, se deitou entre minha pernas e começou a lamber meu saco, cheirar minhas virilhas, lamber e chupar minha rola, mosdiscar a cabela do meu pau… que tesão enorme. Eu fiquei tantando pegar naquela bundinha linda e peluda, ele ajudou se virando meu de lado, comecei a acariciar o cuzinho dele, apertado que nem meu dedo entrava… cuspi nas pontas dos meu dedos e forçei enfiar o maior de todos, consegui com muito esforço… era mto apertado…fiquei doido para sentir meu pau naquele lugar tão apertado… tirei a boca dele do meu pau, olhei com cara de tarado pra ele e disse: quero comer teu cu, cara. Ele disse: não, cara, nunca entrou pau nenhuma nele… vamos ficar só nisso mesmo. -Deixa ao menos eu ficar passando meu pau nele…depois de tanto insistir, ele deixou, mas nao era pra penetrar… eu peguei um óleo, lubrifiquei meu pau, deixei bem melado, o mesmo fiz no cuzinho dele e começei a amolar minha espada entre suas nádegas… vez por outra a cabeça encaixava na entradinha e eu forçava entrar… ele reclamava e eu tirava…ficamos brincando um tempinho assim. O corpo dele estava quente,como que estivesse com febre, era puro tesao…Eu pensava comigo, eu vou comer esse carinha… encaixei a cabeçona na entrada e fiquei paradinho lá… senti ele relaxando forçei um pouco, bem pouco, ele relaxou mais ainda…e senti meu pau sento engolido… que coisa apertada! Eu forçava para entrar e a cabeça entrou. Parecia que estava presa pela pressão daquele cu tao apertado…continuei enfiando até o talo… ele urava feito um urso, mordia o lençol, se contorcia…Galera, eu fodi aquele cu deliciosamente… não dá pra descrever… era apertado demais… tanto que nem ousei em tirar de dentro hora nenhuma… quando eu fazia o vai e vem tirava apenas até chegar na cabeça… parecia que meu pau estava preso la dentro… muito gostoso. Coloquei ele de frango assado, sem tirar de dentro. Continuei comendo ele e batendo uma pra ele (ele merecia)… Não demorou muito ele deu sinal que ia gozar… senti o gozo dele todo… o cuzinho latejava, contraía… delícia demais! Ele gozou muito… e eu continuei enrabando… aos poucos sentia os seus músculos anais relaxarem… o vai e vem ficou mais frouxo, aproveitei… dei boas socadas, ouvia-se o barulho das minhas bolas batendo…ele gemia feito uma fêmia no cil. Senti que ia gozar…avisei: vou gozar, cara. Atolei meu pau até o talo, parei e deixei ele sentir meu gozo plenamente… meu pau latejava dentro dele, pulsava e jorrava porra naquele cu delicioso…fiquei de pau adolado nele e deitei fraco sobre ele… fiquei ali até meu pau ser expulso naturalemente… quando percebi ele já havia pego no sono, me deitei do seu, quase dormindo também e só acordamos pelo despertador, às 6:30h da manhã…Acordamos, olhamos um para o outro com as caras mais safadas desse mundo, demos um sorriso fuleiro e fomos nos organizar para sair pro serviço. Pouca conversa, nem nos conhecíamos direito… preparei uma vitamina para nós e saímos juntos. Isso aconteceu semana passada. Nos encontramos poucas vezes depois, mas em horários imcopatíveis para repetirmos… Estou aqui escrevendo tudo e pensando em fazer uma visita a ele hoje a noite… se der certo, contarei tudo amanhã.

Valeu galera!

PS. Meu pau ficou enxado no dia seguinte… delícia.