Dando Gostoso Pro Instrutor Da Autoescola

Essa e uma historia verídica!!!Estava fazendo autoescola quando meu instrutor pediu demissão. Foi aí que eu conheci o Leandro, instrutor que substituiu o antigo. Leandro é um mulato com quase dois metros de altura, corpo atlético, cabeça raspada, sorriso lindo e lábios carnudos e pele bem macia. Assim que o vi, logo pensei que a troca havia sido interessante. Mas logo olhei para a mão do Leandro e vi a aliança reluzente na mão esquerda. A única coisa que passou pela minha cabeça foi: “Nossa, isso é muito homem para servir a uma única mulher.” 

Deixei esse pensamento de lado e fui para a aula noturna. Treinamis, encerramos o treino e Leandro me ofereceu uma carona até o ponto do ônibus, eu aceitei. Quando fui descer do carro, ele foi se despedir de mim com dois beijinhos e um desses beijinhos pegou bem no cantinho da boca. Eu não desviei nem nada. Fiquei alí para ver o que Leandro faria. Como eu não resisti, elee beijou. Nossa… Que beijo… Que pele quente… Que boca macia… Que língua gostosa… Continuamos nos beijando no carro e ele perguntou se eu queria ir com ele para outro lugar mais sossegado. Não pensei duas vezes. Fomos até uma rua deserta e continuamos nos beijando gostoso. Leandro me beijava tanto e eu chupava aquela língua quente e macia como se não houvesse amanhã e ele acariciava meus seios, a essas alturas por baixo da minha blusa e eu manipulava seu pau enorme e grosso por cima da calça, até que ele resolveu botar aquele monumento pra fora e tirou minha blusa e meu sutiã. Ele mamava meus seios e acariciava minha xota, que a essas alturas estava ensopada de tanto tesão. Ele alternava entre os beijos e as chupadas nos meus peitos, me fazendo gemer alto de tanto tesão. Ele lambia e mordia meus mamilos e eu me contorcia de tesão. Até que eu gozei. Depois, ele chupou os dedos molhados pelo meu gozo e me olhou balançando aquela piroca deliciosa, eu não pensei duas vezes. Dei um sorrisinho safado e caí de boca naquela piroca. Eu, boqueteira assumida, chupei bem devagar, passava a língua na cabecinha e deixei bem molhada, lambi todo o comprimento, beijei a virilhas dele, chupava mais, batia com a piroca na minha cara e ele gemia alto de tanto prazer. Caí de boca na piroca, chupei e foi aí que senti aquele líquido quente na minha boca. Limpei a boca, nos recompomos e fomos embora. No dia seguinte, não tive treino porque havia exame prático, então, trocamos mensagens bem safadas, o que aumentava ainda mais o tesão. Mais tarde, naquele mesmo dia,  recebi uma mensagem dele dizendo que estava com a manhã inteira livre e perguntou se eu queria continuar onde havíamos parado naquela noite. Como estava de férias, topei imediatamente. Mal consegui dormir pensando em como seria gostoso passar a manhã inteira trepando gostoso com ele. No dia seguinte, acordei bem cedo, tomei um banho gostoso, me perfumei, coloquei um vestido uma lingerie sexy e lá fui eu encontrar com ele. Cheguei ao lugar combinado e logo depois chegou ele. Pele fresquinha, perfumado… Todo delicioso, só pra mim. Entrei no carro, nos beijamos e senti minha xota ficar encharcada. Enquanto ele dirigia para um motel, ele pegou minha mão e colocou naquele pinto duro e foi logo colocando a mão na minha perna. Eu, dei logo um jeito de botar a piroca dele pra fora, para ver e tocar punheta. Enquanto acariciava aquela piroca deliciosa, levantei o vestido e afastei as pernas oferecendo minha xota cheia de tesão para ele. Ele entendeu de cara e enfiou a mão por dentro da minha calcinha e começou a dedilhar minha xota como fez da outra vez. Assim fomos até chegar ao motel. Chegamos no.motel, enquanto ele fechava a garagem, eu tirei a calcinha e me encostei no carro com as pernas abertas. Ele logo entendeu o recado e caiu de boca na minha buceta toda melada. Ele passava aquela língua quente e molhada na entrada e no meu clitóris. Eu gemia feito uma gata no cio. Ele colocou uma camisinha e meteu fundo. Meteu tudo com vontade. E eu gemia, pedia mais e ele metendo bem forte. A essas alturas, já havia arrancado o vestido e o sutiã e  me esfregava no corpo dele. Beijava sua boca, mordiscava sua orelha, mexia no ritmo das estocada até que ele gemeu bem alto, gozou e tirou a piroca de dentro de mim. Me deu um beijo e fomos pró quarto. Tomamos um banho e fomos para a cama. Leandro começou a se masturbar, e aquilo me deu um puta tesão, então eu peguei sua mão e botei na minha xota e eu comecei a masturba-lo enquanto ele fazia o mesmo em mim. Ficamos nos masturbando e nos beijando. O pau dele foi ficando duro novamente e minha xota toda molhada. Dei à ele uma Halls preta, coloquei uma na boca fui até a cabeça dele, coloquei uma perna de cada lado e desci o corpo a xota toda aberta e molhada na boca dele. Aquela língua quente e a ardência da bala me davam um tesão louco e eu gemia e gemia alto. Gemia, gritava e rebolada a xota na cara do Leandro até que gozei. Foi um gozo intenso, mas eu queria mais. Virei para o outro lado, a essas alturas, eu estava com a bunda na cara dele porque eu queria fazer um 69. Caí novamente de boca na piroca dele. Chupava forte. Subia e descia a cabeça com aquela delícia na boca. Lambi de leve as virilhas, entre as coxas enquanto ele se deliciava na minha buceta. Ele passava a língua no clitóris, na entrada e no períneo. Nossa… Bom demais aquilo. E eu lambia a cabecinha, chupava até o talo e chupava também as bolas e ele gemia e se contorcia de tanto prazer. Mudei de posição, peguei a piroca dele e pincelei minha xota. Pincelei, bati também com a pica e fui colocando dentro ben devagar. Comecei a me mexer dem devagar. A pica dele ainda estava ardendo por causa da bala. Era bom demais sentir aquela pica ardida dentro. Comecei a mexer bem suave com o corpo curvado pra frente pra beijar aquela boca gostosa ou para colocar os peitos na boca dele – Adoro que chupem meus peitos enquanto me comem. Variava a posição curvando o corpo para trás, segurando nas pernas dele para ele ver minha buceta faminta engolindo o pau dele. E fui cavalgando. O tesão de sentir o saco dele na minha bunda foi tanto que eu desci, fiz um monte de travesseiros, deitei de bruços com as pernas abertas e a xota sobre os travesseirose as pernas abertas. Não precisei falar nada. Ele entendeu de cara o que eu queria. Deu um sorrisinho safado e começou a beijar minha bunda. Ele dava uns beijos estalados, chupava e batia na minha bunda e eu gemia de prazer. Ele passou a língua bem suave entre as pregas até alcançar meu cuzinho. Ele fazia uns movimentos frenéticos com a língua no meu cuzinho que eu gemia, gozava e implorava para que ele não parasse. Quando não estava aguentando mais, ele pegou da mochila um tubo de gel lubrificante e passou generosamente no pau todo. Depois passou no meu cu. Ele passava fazendo um carinho delicioso. E eu gemia. Meu cu estava implorando por aquela piroca. Ele foi pincelando meu cuzinho com aquela piroca deliciosa, colocou a cabecinha, mas eu queria mais. Eu queria aquela piroca toda no meu cu. Eu pedia, implorava ee ele ria e perguntava: É isso que vc quer? Então toma! E ia enfiando. O pau entrou devagar e gostoso. Eu pude sentir as bolas batendo na minha bunda e ele procurava meu clitóris com os dedos. Enquanto fodia meu rabo, ele tocava uma siririca gostosa. A pica grande e grossa do Leandro no meu cu doía, mas eu estava com tanto tesão e os dedos dele tocando siririca logo deram uma sensação de prazer que eu logo gozei. Eu gozei, mas ele estava firme e forte. Dessa vez, as estocadas eram bem  mais fortes. Ele continuou a me dedilhar, e senti uma estocada mais forte e mais funda e ele deu um gemido bem alto, que foi quase um grito, senti o líquido quente inundando meu cu. Ele caiu sobre mim exausto e disse: que foda gostosa. Tu fode pra caralho. Vou querer te comer todo dia”. Eu RI e disse que seria maravilhoso. Fomos para o chuveiro juntos e dormimos um pouco. Depois fomos embora cansados e felizes. 

Contos relacionados

Primeira Vez Inesquecível

Primeira vez inesquecível     Bem eu me chamo Stela (nome fictício), e estou aqui para contar como foi a minha primeira vez. Na época, cursava o ensino médio na cidade vizinha, e como toda quinta feira eu fazia provas, eu dormia na...

Mênage Na Praia

Ménage na praia Eu e vc na praia vamos tomar uma cerveja no kioske, assim que chegamos vemos um cara sentado no banco , vc olha para mim e fala olha aquele cara de sunga branca sentado ali tem um volume interessante na sunga deve ter um pau...

Uma Experiência Com O Meu Marido E Uma Am

Ola a todos, eu sou casada e tarada por sexo, vou contar uma historia que só de lembrar fico toda molhadinha rsrsrs. Tenho uma amiga de longa data k tem os mesmos gostos k eu, adoramos uma boa foda, ela e solteira e nem tem namorado, mas tem uma tara pelo...

Da Janela à Cama

Da Janela à cama Férias, sinônimo de festas, bebedeiras e noites escaldantes - em todos os sentidos imagináveis. Na verdade, eram as últimas semanas das minhas preciosas férias, últimos dias em que iria me revirar até o meio dia na cama....

Aprendendo A Ser Lésbica

Aprendendo a ser lésbica Comecei a minha vida sexual com um colega de aula. Passamos alguns meses nos agarrando em todo canto que encontrávamos. Ele adorava chupar meus peitos e eu também gostava. Ele beijava gostoso e com o tempo eu comecei a...

Aluna Nota 10

Final de semestre na faculdade, época de choradeira por pontos, normalmente só os mais fracos tentando desesperadamente aqueles pontos extras para conseguir média ... eis que o Professor é surpreendido por uma das poucas alunas que passou direto em tudo...