O Cadeirante E A Loira Casada

Quando eu olhava um cadeirante a primeira questão que vinha a minha cabeça era : cadeirante sente prazer? Principalmente quando sofre uma lesão medular e a impressão que se tem é que a vida sexual acaba depois de uma lesão na coluna. Afinal perdem-se os movimentos e sensibilidade da lesão para baixo.

Conheci esse homem através do meu site como stripper ( www.michellystriper.net ) e do meu blog www.michellystriper.blogspot.com , e marcamos um encontro em um motel com acessibilidade. Até nisso estamos em um país atrasado para as questões de acessibilidade, pois não é fácil encontrar motéis adaptados para um cadeirante.

Eu cheguei dentro de um shortinho jeans minúsculo, um top já sem nada por baixo e sem calcinha, do jeito que gosto de aparecer nos meus shows na webcam. Começamos numa agarração muito doida com muitos beijos de língua, mão pra lá mão pra cá. Ele caiu de boca nos meus seios, muitas mamadas deixando os dois biquinhos durinhos. Depois, mais beijos e o clima já estava fervendo, e eu me viro e começo a esfregar a bunda na piroca dele. Fiquei meio maluca e o ataquei com uma mamada com ele já deitado na cama. Foi um serviço completo de língua, garganta profunda e chupada nas bola. Seu pau ficou todo babado e duro que nem uma pedra. Ele ficava me siriricando e eu ia me excitando mais ainda, não querendo largar aquela piroca de jeito nenhum e ficamos assim por um bom tempo, o que deixou minha xota molhadinha. Quando estava saciada, gritei ?Quero você, seu cadeirante safado !!? e ele já estava colocando o capote e eu sentando naquela pica dura!!! Fui uma verdadeira amazonas, cavalguei muito, quicando na vara com vontade. Ele segurava a minha cintura e ajudava nos movimentos para cima e eu movimentava o quadril para cima estocando bem fundo. De repente, comecei a apertar aquela piroca com a buceta fazendo um pompoarismo delicioso. E eu ficava olhando para ele com minha carinha de safada, e decido aumentar o ritmo. Os movimentos estavam bem intensos e anunciei que iria gozar; meu pensamento agora era apenas gozar naquela piroca. Desta forma, não aguentei mais e explodi em cima daquela piroca deliciosa.

Ficamos juntinhos na cama, agarradinhos, num abraço apertado tentando nos acalmar, pois nossos corações batiam em um ritmo acelerado, suados, mas felizes. Não sei o que deu em mim, pois só queria beijar aquela boca e ele também. Ficamos nos beijando por um tempo, com chupadas e mordidinhas nas línguas de ambos. Uma brincadeira que só poderia gerar mais tesão entre osAto seguido, começo a ser acariciada, com ele apertando minha bunda, chegando com o dedinho na porta do cuzinho. Eu, safadinha, me viro para ficar de conchinha para a piroca ficar sarrando minha bunda durinha. Lógico que o garotão já dá claros sinais de vida. Então, eu deito de bruços na cama com meu bundão lindo e malhado a sua disposição. Recebo uns beijos na nuca e costas, mas logo ele cai literalmente de boca na minha bunda com pelinhos dourados, chupando e apertando, procurando chegar ao cuzinho piscador, momento em que começou a lambê-lo. Chupou muito meu cuzinho para prepará-lo para sua piroca, comigo toda arrebitada para ele. Ficou tão doido lambendo e enfiando a língua no meu cuzinho que quase gozei só na linguada. Me pediu para meter logo e eu não obedeci, somente para deixá-lo mais maluco de tesão. Então, enfiou um dedinho no cu e outro na buceta, e começou com movimentos de vai e vem com muito carinho, aumentando cada vez mais o ritmo até me fazer realmente implorar por sua piroca já xingando por estar me torturando. Capote no menino e entrou devagar comigo na posição D4 e foi bem devagar para o anel se acostumar com a piroca, pois nem gelzinho passamos, e foi penetrando devagar até que deslizou bem gostoso sumindo no rabão. Depois da piroca toda dentro, já começou com movimentos mais intensos pegando o ritmo gostoso. Eu me contorcia de prazer, dava para ver pelo espelho a minha cara de prazer revirando os olho. Nesse momento, começo a tocar uma siririca. Comeu por vários minutos meu cu com força no estilo ?hardcore?, comigo pedindo cada vez mais. Vou à loucura e começo novamente, a me tremer e gozar tomando no cu.

Caí toda suada por cima dele que me acariciava os cabelos, me agradecendo. Tiro a piroca mas ele não para por ai, e vai descendo até minha xota que estava toda encharcada de melzinho. Suga com vontade meu melzinho doce e começa a brincar com meu grelinho. Depois deito a seu lado feliz da vida.

Maravilhoso ! Uma experiência nova e intensa com meu cadeirante safado. A química entre nós rolou numa boa. Ele disse que adorou nosso encontro e que tínhamos que repetir. Bom, sem mais palavras….Com certeza vou repetir esse encontro. E falei que este conto faria parte do meu site, sendo mais um relato dos melhores encontros que já tive na minha vida.

Contos relacionados

Saindo Do Marasmo.

Saindo do Marasmo. Saindo do Marasmo. Imaginem uma mulher casada, sem filhos e que o marido tenha outras prioridades. imaginaram? Esta sou eu, Jaqueline é meu nome verdadeiro. Meu marido é 5 anos mais velho e tem a situação financeira...

Os Meus Dias De Universitária

1- Um prédio desanimado... Eu tinha dezoito anos e me formara há pouco no ensino médio. Ainda me lembro tanto da alegria que sentia por ter concluído aquela etapa (que não foi fácil, pois nunca fui das mais estudiosas) quanto da insegurança sobre...

A Ceia

O meu desejo tinha tanto de profano como de absurdo. Naquela noite de inverno, o meu Dom convidara-me para um jantar numa festa privada, a ter lugar  num palácio da alta burguesia.  As instruções dele tinham sido claras: Deveria de estar de olhos...

Por Acaso Aconteceu

POR ACASO ACONTECEU Sempre li esses contos e comparando com a realidade uns achei bem interessantes e outros de uma imaginação incrivelmente fértil e se realmente aconteceram ou não sei, acredito que sim, quem sabe, mas isso é uma opinião...

A Minha Amiga Marion De Nova Iorque...

A minha amiga Marion de Nova Iorque... O meu nome é Nuno e vou contar uma história durante visita de uma amiga minha afro-americana de Nova Iorque a Portugal. Conhece-mo-nos em França durante um curso de Francês de Verão e desde ai mantivemos...

A Domicilio?

Faço de tudo um pouco e aproveitando a idéia do marido de aluguel, iniciei a minha pequena empresa. Agradar ao cliente é primordial para uma boa indicação e de boca em boca eu vou fazendo um serviçinho aqui e outro ali. Meu telefone tocou, a senhora...