Eu Faço Direito

Era domingo a noite, estava em meu quarto pronta para deitar-me. Abri a janela do meu quarto para entrar um ar, observei o céu e olhando para frente observei que a janela do apartamento vizinho também estava aberta e a luz do quarto acesa, fiquei olhando curiosa pois fazia algum tempo que havia avistado alguém morando lá. Percebi uma sombra e continuei olhando, pouco tempo depois vi uma mulher loira, muito atraente… Vi que ela percebeu minha presença, mas continuei lá, ela saiu e em pouco tempo voltou enrolada em uma toalha, ficou em frente a janela mais uma vez e deixou sua toalha cair levemente ficando completamente nua, apagou a luz e acendeu outra um pouco mais baixa, suponho que tenha sido o abajur, retornou a frente da janela e começou a vestir um vestidinho leve para dormir, então retirou-se vagarosamente. Não sei se ela sabia mas eu estava desejando-a muito naquele momento. Na manhã seguinte acordei cedo, pois tinha que ir para a faculdade, tomei banho, me arrumei, tomei café da manhã e fui. Chegando lá sentei-me na primeira carteira, tinha que causar uma boa impressão, pois estava fazendo faculdade de Direito e era meu primeiro dia de aula. Eu estava distraída olhando para o celular, assim que o guardei, vi uma bel aloira entrando pela porta da sala em que eu estava, na verdade ela parecia bastante com a mulher que havia avistado da minha janela noite passada. Assim que passou por mim me olhou de lado e percebi um sorriso no canto de sua boca. Tudo bem, ao decorrer da aula eu prestava bastante atenção, talvez mais atenção na professora do que na aula, ela parecia ser tão quieta, tão reservada, tão reservada a ponto de nem ter falado seu nome ainda. Acabando a aula fui para casa e fiz tudo o que de costume e depois de fazer tudo o que tinha de fazer fui até meu quarto e olhei da janela esperando que a mulher estivesse lá novamente, e ela estava. Passaram-se noites e eu sempre a via através de minha janela. Na faculdade eu observava bastante a professora. Um certo dia eu estava no intervalo e a vi sozinha sentada em um banco que ficava no pátio, fui até ela. ãolá, posso ficar aqui com você? Perguntei. ?É claro que pode, sente-se. Me respondeu com um sorriso, Então sentei ao lado dela. ãentão qual o seu nome mocinha? Perguntou. ?Wanessa e o seu, professora misteriosaí Perguntei transparecendo um sorriso safado. Ela sorrio de volta e respondeu ?Sophe. ?Belo nome. Elogiei. ãobrigada, (sorrio tímida) eu tenho uma breve impressão de que já lhe conheço de algum lugar. Fiquei surpresa e continuei com o assunto. ?Sério? Eu também, eu acho você bastante parecida com minha vizinha, mas eu não a conheço. ?Mas você a vê sempre? Perguntou curiosa. ?Sim, mas não diretamente, só a vejo através da janela do meu quarto. Respondi. E se eu te falar que é a mim que você vê todas as noitesó! Perguntou e sorrio de forma safada. ?Mesmo? Eu desconfiei mas não tive certeza. Respondi apreensiva. ?Pois é. Ei vai haver uma festa apenas para quem faz faculdade de Direito, mas só algumas pessoa que estão sabendo disto, você quer ir comigo? Será a noite, numa chácara não muito longe daqui, você pode ir e voltar comigo eu vou pegar o carro da minha mãe no dia então não temos que nos preocupar com a hora de voltar, eu levo você na sai casa. O slogan da festa é ãeU FAÇO DIREITO?. Sorrio travessa, colocando a mão na minha coxa e apertando de leve. Mordi meu lábio inferior, sorri e respondi ?Tudo bem, eu vou com você, me avise quando se aproximar o dia, tenho que ir agora. ãestá bem, até logo. Falou sorrindo. Sorri de volta e sai. Passaram-se os dias e então finalmente sábado pela manhã ouvi alguém tocando a campainha do meu apartamento, fui abrir a porta, quando abri vi Sophie. ãolá Sophie, que bom lhe ver, entre. ?Desculpe, não posso demorar, tenho que ir ver minha mãe, só passei aqui para falar a respeito da festa, será hoje. As nove eu passo aqui para lhe pegar, esteja pronta. Disse apressada. ãestá bem, te vejo às nove. Concordei. Então passou-se o dia e finalmente chegou a hora de aprontar-me para a festa. Tomei banho e fui até meu quarto me vestir, quando olhei pela janela, vi Sophie, vestida apenas com roupas íntimas. Percebendo minha presença ela me olhou e sorriu de forma safada. Nossa, que corpo lindo, que sorriso lindo… Continuei olhando e sorri sem jeito, ela voltou a se vestir, colocou um vestido vermelho, curtinho, ela estava incrível e então ela sumiu da minha vista, foi ai que percebi que estava quase na hora e fui me vestir, coloquei um vestido preto básico e uma sandália preta um pouco alta, arrumei rapidamente meu cabelo e fia uma maquiagem bem básica nos olhos, apenas com delineador e máscara para cílios, e já estava pronta. Não tive que esperar muito e ela chegou, ouvi apenas um carro buzinando em frente ao meu prédio, sai e a vi dentro do carro, entrei e então fomos à festa. Quando chegamos a festa já havia começado. Todas as pessoas estavam bebendo, dançando, se beijando… Andamos por lá e depois nos sentamos um pouco para beber, enquanto bebíamos, conversávamos e riamos das pessoas que lá estavam. Decidimos ir dançar. Dançávamos ao som de ótimas músicas eletrônicas e nos olhávamos cheias de maldade e jogávamos sorrisos maliciosos. Até que ela aproximou-se ainda mais de mim e perguntou -Eu não estou achando aqui muito interessante, então vamos ficar mias um pouco e vamos para casa, tudo bem pra você? ?Claro. Respondo ansiosa para que essa hora chegasse logo, pois estava cheia de segundas intenções e provavelmente aconteceria algo. O tempo foi passando, bebíamos e dançávamos tranquilamente, até que ela olhou nos meus olhos de forma sedutora e mordeu seu lábio inferior, fiquei excitada só ao ver sua expressão. ?Não acha melhor irmos agora? Perguntei cheia de maldade. Ela sorrio maliciosamente percebendo o que quais minhas intenções. ?Claro, vamos. Pegou minha mãe e saímos. Assim que entramos no carro ela ligou o som, estava tocando ?Do I Wanna Know? de Arctic Monkeys. Conversamos um pouco a respeito da festa e então ela se queixou -Aqui está muito calor, se importa se eu tirar meu vestido? Sorri marota ?Claro que não, fique a vontade.  Então ela pediu para que eu ajudasse-a. Enquanto a ajudava a tirar o vestido, me aproveitei da situação para acaricias discretamente seu corpo e enquanto o fazia percebi sorrisos e por fim, lá estava ela vestida apenas com uma lanjerie vermelha. Começou a dirigir e vez ou outra me olhava indiscretamente. ?Não quer tirar sua roupa também? Não está sentindo calor? Perguntou toda descarada. ?Claro, vou tirar. Respondi já esperando por esta pergunta. Tirei meu vestido e reparei um sorriso safado. ?Quando chegarmos você quer ficar um pouco em meu apartamento? Perguntou e sorrio. Ó que você acha? Perguntei olhando-a. Ela apenas sorriu e acelerou um pouco mais. Enfim chegamos. ?Vamos lá? Perguntou. ?Sim, mas acho que devemos nos vestir antes, não acha? Perguntei preocupada, afinal alguém poderia nos ver. ?Não é necessário, ninguém nos verá no estacionamento, à esta hora meus vizinhos todos estão dormindo, o máximo que poderá acontecer é aparecermos nas filmagens de segurança do prédio, mas suponho que os seguranças não se importarão. Falou tranquila. ?Sim, é verdade. Respondi. Colocou o carro no estacionamento e subimos até seu apartamento. Chegando lá, ela puxou pela não até seu quarto, segurou em meus braços, me encostou na parede, colou seu corpo no meu, me olhou nos olhos e sorrio maliciosamente. Imediatamente tomei seus lábios com um beijo cheio de desejo, podia sentir nosso corpo ardendo naquele momento, cada toque seu em meu corpo me fazia arrepiar sentindo cada vez mais tesão. Não aguentando mais passei a mão em sua buceta por cima de sua calcinha. Parou de me beijar e soltou um gemido que me fez arrepiar, descontrolando-me a empurrei em direção a cama, podia notar ela me olhando sedutoramente, enquanto me olhava, mostrava-lhe sorrisos safados. A beijei novamente e pude sentir sua calcinha molhada encostando em minha perna e foi ai que arranquei todo o resto se duas roupas, quando olhei para seu rosto, estava com os olhos fechados e mordendo o lábio inferior. Comecei a chupar seus seios enquanto que com uma das minhas mãos acariciava sua buceta, ela mexia o quadril, ofegante, passei meu dedo na entrada de sua buceta ameaçando lhe invadir, neste momento ela gemeu baixinho e me arranhou nas costas. Me controlei um pouco mais e resisti a vontade enorme que estava de enfiar meus dedos naquela buceta molhada e continuei apenas chupando seus seios e acariciando-a. Virou-me, ficando em cima de mim, beijando todo o meu corpo, tirou o resto de minhas vestes e não aguentando, começou a chupar minha buceta insaciavelmente, estava ofegante e cheia de tesão, comecei a gemer baixinho, percebendo minha grande excitação logo colocou dois dedos em minha buceta, fazia movimentos contínuos de ?vai e vem? com seus dedos enquanto fazia deliciosos movimentos circulares com a língua em meu clitóris, aumentava cada vez mais a velocidade de sus dedos e a pressão em sua língua, gemia muito e logo que senti meu orgasmo se aproximando sussurrei ?Para, eu vou gozar. Ela me olhou com um sorriso perverso e me respondeu ?Cala a boca vadia. E rapidamente voltou a usar sua língua maravilhosa, não deixando tempo para quaisquer reação minha, além de gemidos. Ela continuava com os movimentos de seus dedos e a língua, com cada vez mais intensidade e foi ai que gozei, tive um maravilhoso orgasmo com aquela loira gostosa. Ainda estava com tesão, mas percebi que ela estava querendo que eu continuasse o que estava fazendo antes de ela tomar todo o controle da situação e foi então que comecei a beijar todo o seu corpo, passando pelos seus seios indo até sua buceta, parando lá e me deliciando sentindo-a pulsando em minha língua, então coloquei dois dedos em sua buceta e comecei a fazer movimentos, ela gemia ?Ah, que delícia, quero mais um… E então coloquei mais um dedo em sua buceta e ela gemeu intensamente. Comecei então a apenas mexer meus dedos rapidamente e ela gemia cada vez mais quando percebi que iria gozar, continuei, chegando o momento certo, tirei meus dedos de dentro de sua buceta e rapidamente comecei a chupá-la e pude sentir a maravilhosa pulsação de sua buceta em minha língua e ela segurou firmemente em meus cabelos. Após seu orgasmo ela me puxou para um beijo intenso. Dormimos juntas, no dia seguinte antes de ir para casa ela falou ?Wanessa, eu adoraria repetir o que fizemos. E mordeu os lábios. Respondi ?Pode ter certeza que irá acontecer mais vezes. E sorri piscando o olho. Fui para casa e outras vezes depois tivemos transas maravilhosas. 

Contos relacionados

Os Meus Dias De Universitária

1- Um prédio desanimado... Eu tinha dezoito anos e me formara há pouco no ensino médio. Ainda me lembro tanto da alegria que sentia por ter concluído aquela etapa (que não foi fácil, pois nunca fui das mais estudiosas) quanto da insegurança sobre...

Experimentando A Vizinha?

Experimentando a vizinha  Ainda não temos filhos, eu e a minha esposa trabalhamos e precisávamos de alguém para receber os moveis novos que havíamos comprado. A minha esposa confiou a chave da nossa casa a uma vizinha para que ela pudesse receber os...

Punheta

Olá, meu nome é Henrique sou casado há 20 anos com Aline, somos um casal tradicional, eu moreno claro, 1,81 106 kilos sem vícios, ela morena clara, 1,52 60 kilos, cabelos médios. Como o passar do tempo começamos a fantasiar uma terceira pessoa em nossas...

Virei Casada Safada Na Webcam

Sou uma morena, gostosa de 31 anos de bumbum grande e coxas grossas , desperto o tesão dos homens quando posso pela rua de vestido curto, veja  na foto, adoro me exibir. Eu e meu marido já curtimos de tudo um pouco , realizamos muitas fantasias, mas agora...

Comi A Mãe Do Meu Amigo

Comi a mãe do meu amigo BEM OS NOMES SERAO FICTICIOS, JOAO E MARIA. Era uma quarta feira quando estava indo para o trabalho no segundo turno, quando no caminho encontro com maria, ela me dizia que queria conversar um pouco mas como...

Flavinha Safadinha

Olá, me chamo Flavinha, tenho 18 anos, 1,60m, 50kg bem distribuídos, me sinto uma baixinha até que bem atraente. Tenho seis médios que se encaixam perfeitamente em minhas mãos, adoro minhas coxas, são um pouco grossas. E para finalizar amo minha bunda,...