Espanhola No Metro

Era greve dos rodoviários e o metro estava super lotado naquele dia, eu havia ficado entre a porta e a cabine final do condutor, entre uma estação e outra era aquele empurra, empurra para entrar e sair da composição, em uma determinada estação uma mulher baixinha forçou passagem para entrar. Eu acabei cedendo o meu lugar para que ela não fica-se sofrendo com o entra e sai da composição durante as paradas na qual a porta abria daquele lado. A nossa diferença de altura associada ao tumulto que estava dentro do metro fez com que o meu pênis fica-se pressionando os seios dela e involuntariamente eu acabei ficando ereto, primeiro foi um leve desconforto para não ficar encostando naqueles seios generosos e depois muita concentração para não ficar olhando para o decote da blusa dela mas, depois de tanto esfrega, esfrega ela acabou ficando excitada. Eu me apoiava na lateral da composição para não esmagá-la e com o balanço do metro e com o empurra, empurra, tirava um sarrinho naqueles seios maravilhosos quando senti uma pegadinha no meu saco, olhei rapidamente para baixo e ela estava com um sorriso no rosto e uma carinha de safada, logo em seguida a mãozinha dela começou a me alisar sobre a calça, desceu meu zíper e introduziu a sua mão, ficou apertando meu pênis enquanto me olhava e mordia os seus lábios a cada pulsação que sentia, depois disso, ela levantou a própria blusa e introduziu meu pênis entre os seus seios e o metro lotado se encarregou de me ajudar a fazer balanço, ela curvou a cabeça para frente, ocultando toda aquela sacanagem dos demais passageiros e ainda tentava passar a lingüinha na cabecinha a cada socada que eu dava passada algumas estações ela sussurrava pedindo para que eu goza-se nos seus seios e eu respondi pedindo para que ela chupa-se, ela curvou um pouquinho os seus joelhos e ficou bem posicionada para engolir, deixou meu pênis todo babado de saliva e tornou a introduzi-lo entre seus seios, desta vez, escorregando melhor, foi inevitável, mas, algumas mexidas e eu jorrei meu esperma sobre seus volumosos seios ela espremeu as ultimas gotinhas contra o bico dos seus seios, baixou a blusa e saiu rapidamente assim que a porta abriu, me deixando com o pênis para fora bem no meio daquela multidão. Tratei de rapidamente guardar e fiquei olhando pela vidraça do metro ela ir embora enquanto a composição ganhava velocidade para prosseguir para sua próxima estação          

Contos relacionados

Socando A Vizinha

acordei naquela manhã com a bóia da caixa dáágua travada e por ela não parar de encher acabou transbordando e inundando parte da minha casa. Enquanto eu estava no telhado tentando consertar o defeito escutei alguns gemidos que me levaram a curiosidade de...

Frenesi Ao Ar Livre

Frenesi ao Ar Livre       Domingo ensolarado, um dia aparentemente bom, neste dia tinha marcado de sair com a minha namorada para um passeio descontraído para conversar sobre o nosso relacionamento e o nosso futuro. Nós nos...

Meu Primo E A Namorada

Meu primo e a namorada Meu nome é Giselly, sou pequena, olhos castanhos claro, simpatica e sou viciada nesses contos de internet. Esperava anciosamente para que um dia eu podesse escrever o meu conto também. então vamos lá... Era uma tarde...

Sobrinha Da Minha Mulher

OLA OQ VOU CONTA JA TEM UNS 6 ANOS QUE ACONTECEU MEU NOME E PAULO EM 2009 CONHECI UMA MULHER MINEIRA PELA NET SO QUE ELA NÃO MORA EM MINAS E FICAMOS TC TODOS OS DIAS PELA NET ATÉ QUE EM 2010 ELA FOI MORA EM MINAS GERAIS JUNTO COM A FAMÍLIA O TEMPO PASSO E...

Como Conquistei Minha Irmazinha

Me chamo Rafael, tenho 31 anos, casado e sempre gostei de ler os contos eróticos aqui do site, e isso me encorajou a fazer aqui também o meu relato. A história que vou contar é verdadeira e, é lógico que vou mudar os nomes e locais para não haver...

Meu Corno Preferido Te Adoro....

Ola bom dia a todos, a historia que passo a contar aconteceu comigo a cerca de um ano, meu nome e Vera(fictício) tenho 33 anos tenho 1,68 m cabelos pretos ate o meio das costas, tenho a bunda e as penas grandes e torneadas, moro em Valença-RJ, meu marido se...