Siririca No ônibus

Olá, atualmente tenho 18 anos, e o que contarei aqui, é sobre uma experiencia muito boa que tive aos meus 14 anos. Bom, eu estudava em uma cidade um pouco distante da minha, e precisava pegar ônibus todos os dias. Certa vez eu estava no fundo do ônibus quando chegou uma mulher alta com uns peitos enormes, e sentou do meu lado. Ela estava com uma mini saia e uma blusa apertada, com uma lata de refrigerante na mão. De repente o ônibus deu uma freada que derramou o refrigerante dela todo em cima de sua blusa. Como ela estava sem sutiã, os biquinhos dos peitos dela ficaram durinhos de frio e eu não consegui parar de olhar aquilo. Então ela percebeu que eu fiquei um pouco nervosa com aquilo e sorriu pra mim, perguntou se eu tinha algum papel ou pano pra enxugar sua blusa, e eu rapidamente peguei meu casaco e dei a ela. Ela perguntou se eu poderia enxugar, então peguei o casaco e passei nos peitos dela, apertei tanto que ela deu uma risada sedutora e eu fiquei louca. Ela percebeu que eu estava exitada  e então sussurrou: sabe o que é siririca? E eu respondi que sim, mas só tinha batido umas 2 vezes. Logo ela levantou sua blusa deixando os seios a mostra, aproveitando que o ônibus estava vazio, levantou sua saia, tirou a calcinha e a me entregou. Fiquei olhando aquela vagina gostosa e então ela pegou minha mão e colocou entre as pernas dela. Minha calcinha ficou encharcada. Então ela falou para eu fazer o mesmo, e como eu estava de calça jeans somente abaixei a calça e a calcinha. Percebi que o trocador estava nos observando com cara de exitado, mas nem ligamos. Nós duas começamos a bater siririca até que gozamos no banco, que delicia. Logo, ela sentou no meu colo e ficou de frente pra mim, começamos a nos beijar e acariciar a pepeca uma da outra, enfiando e tirando o dedo, fazendo movimentos de vai e vem numa velocidade descontrolada. Não consegui resistir e gemi alto, e todos que estavam no ônibus começaram a olhar. Ela gozou na minha perna todinha e no banco, deixamos uma poça de gozo no banco em que estávamos. Então o ônibus começou a encher e decidimos parar antes que chamassem nossa atenção, fomos para outro banco e ficamos observando as pessoas olhando para aquela poça de porra e se perguntando o que era. Fomos até nossa parada sem falar nada uma com a outra e quando eu estava descendo do ônibus, o trocador me chamou e apertou meu peito e me chamou de puta, então mandei ele ir pra puta que pariu e desci do ônibus. 

Galera, eu não sou puta, eu faço faculdade de direito. Essa foi apenas uma experiencia incrível que nunca esquecerei. Espero que tenham gostado do meu primeiro conto. Beijos.

Contos relacionados

Banho De Rio Com Muito Sexo

Banho de rio com muito sexo Ola meu nome é j, 1,80 de altura, 79 kg, moreno, a história que eu vou contar aconteceu a + ou- 2 anos, sou funcionário publico municipal de uma pequena cidade do interior de minas gerais cerca de natureza por todas as...

Espanhola No Metro

Era greve dos rodoviários e o metro estava super lotado naquele dia, eu havia ficado entre a porta e a cabine final do condutor, entre uma estação e outra era aquele empurra, empurra para entrar e sair da composição, em uma determinada estação uma...

Transa Inesquecível Na Varanda

Transa inesquecível na varanda Oi G.... este vai pra você saber o quanto você transa gostoso, como amo dar pra você, como sinto saudade quando você está longe, como ainda quero viver muito essa intimidade com você... Estamos...

Prazer Com Uma Piquinha

Prazer com uma piquinha Me chamo Amanda. Vou começar lá de quando comecei a sair com meu marido. Um tempo atrás fui com meu marido em uma peça de teatro da Heloísa Pelissê, e lá ela falou da sambadinha de pênis, aquela quando o pênis fica...

Conheci Essa Mulher Na Net

Em julho deste ano estava de férias e entrei em uma sala de bate papo quando conheci uma mulher de 46 anos. Eu sou Negro tenho 42 anos, batemos um papo muito legal com muita firmeza, ela era muito tímida como sou um homem casado e respeitador conversamos...

Um Belo Casal Sergipano

Um Belo Casal Sergipano Ainda me lembro de minha adolescência quando adorava ler os contos eróticos que vinham em um encarte da antiga revista ELE e ELA, e desde aquele tempo as histórias que mais me excitavam eram as que envolviam maridos que...