Balada Inesquecível!

Balada inesquecível!

Lembro-me como se fosse hoje! Eu já estava deitada quase dormindo quando meu telefone tocou… Era meu irmão me chamando para uma balada em uma chácara.

Sem nada pra fazer no outro dia, resolvi ir mesmo sem vontade. Chegamos lá por volta da 01h00min da manhã, estava bem divertido, porém não havia ficado com ninguém até as 04h00min da manhã. Foi quando eu já meio alta por causa das bebidas, vejo sentar ao meu lado um moreno muito gostoso, alto, corpo atlético do jeito que eu gosto. Perguntou meu nome, e depois que respondi perguntou se queria ficar com ele, sem hesitar eu disse sim, então ele pegou em minha mão e me puxou para trás da balada, bem no escuro. Sinceramente não achei que iríamos tão longe, ele parecia saber bem onde me levava, e eu estava adorando néh, quando chegamos a um lugar tipo uma garagem, cheias de mesas e cadeira velhas e empilhadas umas sobre a outra. Der repente ele me agarrou, e começou a me beijar desesperadamente, apesar de assustada gostei daquilo. E sem, mas demora enfiou a mão dentro da minha calça por trás e começou a apertar minha bunda, der repente começou a passar o dedo em minha bucetinha, por trás mesmo, ele chegava a me erguer do chão naquele movimento de vai e vem. Eu confesso estava louca de tesão e gemia e gritava muito, ele me virou de costas e baixou minha calça sem nem mesmo desabotoá-la. E em um só golpe enfiou aquele cassete enorme na minha bucetinha que estava pingando. Cada bombada que ele dava era um grito de tesão que eu soltava, ele chegou a tampar minha boca e me chamar de louca no cio. Depois de algum tempo me fodendo me virou de frente e me fez mamar naquele pinto enorme, chupei, mordi, lambi e dei muitos beijinhos naquele pausão, ele também gemia como um louco. Fiquei de costas novamente e pedi para que ele me fodesse bem gostoso, e com muita força, ele sem nem pensar socou com muita violência minha bucetinha que estava ardendo. Pedi para que ele me fizesse gozar bem gostoso naquele pausão suculento, e ele disse que eu podia ficar sossegada porque era o que ele faria. Tirei por completo a minha calça e pulei em seu colo com as pernas entrelaçadas em sua cintura, foi muito bom!

Ele com as mãos em minha bunda me empurrava pra cima e para baixo num movimento violento socava sem dó, enquanto sugava meus seios com aquela boca maravilhosa.

Eu gemia gritava descontroladamente enquanto ele me chamava de vadia, cachorra puta sem vergonha, confesso que me deixava, mas excitada ainda com esse jeito de me tratar.

Colocou-me em cima de uma daquelas mesas e arreganhou minhas pernas no Maximo

E começou a me chupar como se fosse a ultima coisa que faria na vida, chupava com tanta força que chegava a doer, enfiava aquela lingua quente e gostosa na minha bucetinha e no meu cuzinho. Eu já não agüentando, mas disse que iria gozar, e ele me disse para gozar gostoso na cara dele, foi o que fiz, gozei como uma louca. quando terminei de gozar ele me puxou e colocou me de quatro de novo, e eu sem tempo nem mesmo de pensar senti o meu cuzinho sendo arrombado num só golpe, doeu tanto que gritei de dor e chorei, ele nem ligou para isso e continuou a socar meu cuzinho com muita força, que até aquele momento era virgem. Depois de algum tempo fui relaxando e comecei a gostar daquilo embora ainda estivesse doendo, ele gemia como um louco e eu também!

Ele começou a me masturbar enquanto me arrombava e foi tão gostoso que gritei vou gozaaaaaaaaaaar! Ele rapidamente tirou o cassete do meu cuzinho me virou de frente, puxou uma perna minha na altura de sua cintura e estocou minha bucetinha e disse: goza gostoso no meu pau sua vadia! Quero sentir seu gozo bem quentinho. Quando estava quase gozando ele segurou minha cabeça e pediu para que eu gozasse olhando em seus olhos, foi demais… gozamos juntinhos, gozei como nunca tinha gozado antes, e acho que nunca mas vou sentir sensação igual. Então ele me beijou demoradamente, um beijo inesquecível… Peguei minha calcinha e me limpei com ela, ele tomou ela de min. e colocou no bolso de sua jaqueta.

Fiquei sem calçinha, mas tudo bem! Saímos pelo outro lado da garagem, e quando chegamos à frente da balada meu irmão estava me procurando para irmos embora, dei, mas um beijo nele e dei tchau!

Não trocamos sequer o telefone, depois de algum tempo vi ele de novo em um show na cidade, mas nem deixei ele me ver, ele estava acompanhado por outra mulher, creio eu que namorada dele. Uma sortuda de ter aquele homem que passe quanto tempo for jamais vou esquecer.

Contos relacionados

Comendo A Loira Na Semana De Saco Cheio

Comendo a loira na semana de saco cheio Era semana do saco cheio, uma semana inteira sem aula, só na curtição com a galera. Sexta-feira eu fui pra casa de uma amigo meu, muita comida, cerveja e mulher, a maioria da minha idade, todas colegas...

Nossa Primeira Menage Foi Na Praia De Nud

Bom como todos vô começar apresentando minha esposa tem 1,60 58k mor clara 40 anos mas parecer ser bem mais nova,pois tem cabelos compridos seios médios durinhos uma bunda de fazer inveja bem redonda coxas grossas buceta lisinha um verdadeiro avião sem...

Sexo no flat

No reinício do nosso relacionamento começamos a freqüentar festas e clubes de swing. Até aí nada de novo. O que eu percebi é que ela nunca perdia a viagem. Mesmo se não conhecêssemos pessoas legais nas festas, ela sempre arranjava algum cara pra...

Meu Advogado,meu Tesão.

Espero que gostem. Fui casada por 15 anos ,o meu casamento acabou ,como meus ex pertubava muito resolvi entrar com o divorcio, é aqui que a história começa. Em um determinado dia estou bateando papo no face e recebir um convite,comecei a bater papo e falei...

A Domicilio?

Faço de tudo um pouco e aproveitando a idéia do marido de aluguel, iniciei a minha pequena empresa. Agradar ao cliente é primordial para uma boa indicação e de boca em boca eu vou fazendo um serviçinho aqui e outro ali. Meu telefone tocou, a senhora...

Os Meus Dias De Universitária

1- Um prédio desanimado... Eu tinha dezoito anos e me formara há pouco no ensino médio. Ainda me lembro tanto da alegria que sentia por ter concluído aquela etapa (que não foi fácil, pois nunca fui das mais estudiosas) quanto da insegurança sobre...