Bondage No Motel

Ao entrarmos no quarto do motel… peguei uma cadeira e mandei ela

sentar ali… com as mãos para trás… amarrei-a bem e então

fiquei em pé á sua frente… admirando aquela fêmea indefesa ali

á minha disposição… camisa amarrada na cintura… alguns botões

desabotoados nos seios mostravam metade dos seios e seu sutiã…

apalpei aqueles lindos seios com minhas mãos e os apertei um pouco

fazendo ela gemer… que tesão!!

Sua calça era do tipo calça baixa e mal escondia sua calcinha…

sua barriga e umbigo estavam totalmente á mostra…

desabotoei a calça e abri o zíper, revelando sua calcinha…

Ela me olhava com uma mistura de medo e tesão

Nada podia mais fazer, pois era minha, todinha minha…

Mostrei-lhe a mordaça, e ela quis negar, mas não teve jeito,

foi amordaçada e bem apertadinha…

Suas pernas estavam ainda livres e se debatiam para levantar, fugir…

Mostrei-lhe mais cordas e seus olhos se arregalaram…

sua cabeça remexia para os lados, tentando dizer não…

mas sem dó… e excitado demais… amarrei seus pés um de cada lado

puxando-os bem para trás… ela ficou linda ali bem amarradinha…

mal podia se mexer… sentia sua excitação… seu tesão em estar

dominada e a mercê de seu homem… imaginando o que viria ainda…

mostrei-lhe um dos vibradores… cheguei bem perto de seu rosto

e liguei-o… passei ele vibrando em seu rosto e fui descendo

entre seus seios… massageando seus bicos que estavam durinhos de tesão…

cheguei ao umbigo e fui descendo… então ela começou a se debater

nas cordas e amarras e gemendo muito e abafado pelas mordaças…

enfiei a ponta de meu dedo em sua calcinha e pude perceber

seu liquido escorrendo por entre suas coxas revelando-me

que estava bem lubrificada…

desliguei então o vibrador e o pus dentro da calcinha, bem na entrada 

da vagina… dei um breve intervalo e fui pegar outra cadeira e 

sentei-me na sua frente… me ajeitei como se estivesse sentado

num sofá… bem a vontade… olhar de deboche por sua vulnerabilidade

e muito excitado com a linda visão… o vibrador tinha um longo fio

que podia ser controlado por mim, as velocidades e o liga-desliga também…

Então olhando-a nos olhos com uma cara safada e debochada… liguei o

vibrador e ela então começou a se contorcer toda, debater e gemer

loucamente de tesão… ora olhando-me nos olhos, ora olhando para cima, 

pois se contorcia muito a cabeça para trás e para frente… enfurecida

pelo imenso tesão de estar bem amarrada e sendo bolinada também…

a sensação de prazer e tesão era incrivelmente deliciosa e sentia

vontade de gozar na hora… mas… ao perceber… desliguei o vibrador…

coloquei minhas pernas em cima das delas… me estiquei na cadeira para trás…

e me deliciei olhando sua furia de tesão cortado e seu olhar reprovador

pareciam me odiar e chamar de safado, cretino e outras coisas mais…

eu me deliciava com a cena e ria super excitado também… e…

quando ela parecia se acalmar eu voltava a ligar o vibrador… mas desta

vez com uma vibração bem fraca, a deixando louca de prazer… olhando-me

e implorando para aumentar a vibração, deixa-la gozar logo de uma vez…

mas eu me controlava, queria deixa-la exausta de tesão… queria

acumular seu tesão, prazer ao máximo… e me divertia com a cena…

Apertava meu pênis com força, com minha mão, para acalmar meu tesão imenso…

e ligava e desligava o vibrador, fazendo-a gemer tanto e se debater…

mal conseguindo ouvir seus xingamentos abafados pela mordaça…

Então me levantei e disse a ela que iria tomar um banho agora e

que a deixaria ali, amarradinha, sem gozar… para quê!…

ela enlouqueceu… pediu com os sonhos clemência…

queria gozar… não aguentava mais de tesão… xingava…

então eu disse… Faremos assim:

Vou tomar meu banho e deixo o vibrador ligado no mínimo… ok?

Ela fez que nãooooo… e fiz que nem ouvi… liguei bem baixo

e disse a ela: Se vira… goza se puder!!!

E sai sorrindo debochado, com meu pênis quase explodindo

de tanto tesão com a cena de contorções ali.



by Nando Cordas

[email protected]

Blumenau SC